Novembro chega e chama atenção para consciência negra | Jornal em Destaque


Ouça a Noticia!

Novembro chega e chama atenção para consciência negra

Militantes do terceiro distrito falam sobre a situação do negro no mercado de trabalho





Novembro chega e chama atenção para consciência negra

13/11/2019 12:23 | Cidade:Miguel Pereira | COLUNISTAS | Thais Carvalho

O mês de novembro é marcado, também, como o mês da Consciência Negra, onde são realizadas ações para lembrar e ressaltar a luta dos negros contra a discriminação racial e a desigualdade social.


A desigualdade no Brasil, além de enorme, tem um forte componente racial. É o que mostram os números da PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) divulgados recentemente pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Em 2015, os negros e pardos representavam 54% da população brasileira, mas sua participação no grupo dos 10% mais pobres era muito maior: 75%. No grupo do 1% mais rico da população, a porcentagem de negros e pardos é de apenas 17,8%. “Ainda observando a desigualdade de renda que, apesar de arrefecimento nos últimos anos, mantém-se consequente, a população permanece segmentada por cor ou raça”, diz o relatório.


Dia da Consciência Negra é comemorado em todo Brasil no dia 20 de novembro, dia da morte do líder Zumbi dos Palmares. A data busca trazer reflexão sobre a posição dos negros na sociedade e os impactos que sofrem as gerações de afro-brasileiros, que sucederam à época da escravidão, mas, que ainda convivem com preconceito e discriminação, principalmente no ambiente de trabalho.


Aqui no terceiro distrito, temos exemplos de gente, da gente, que vem sentindo na pele, literalmente, o peso dessa desigualdade, porém enfrentando-a com bravura. O morador Rafael Souza (33), Modelo, Instrutor de dança, Bombeiro Civil e Microempreendedor, é um deles. Sua carreira no mundo da Moda começou há 15 anos. O jovem, com traços marcantes, participou também de desfiles e, atualmente, é responsável pela organização de um dos eventos que acontecem no terceiro distrito: a festa ‘’Na Resenha”, que já faz parte do calendário dos moradores.


Rafael Souza (33), Modelo, Instrutor de dança, Bombeiro Civil e Microempreendedor Rafael Souza (33), Modelo, Instrutor de dança, Bombeiro Civil e Microempreendedor

Rafael afirma que o mercado da moda se expandiu muito e, também se abriu para os profissionais negros, nestes últimos anos. Mas que, apesar de tudo, se tornou uma profissão muito concorrida.


A concorrência no mundo da moda não é diferente em outras áreas; e, em razão disto, a população negra no Brasil ainda ocupa a maioria das vagas em serviços braçais ou que exijam pouca escolaridade, como Operador de Telemarketing, Serviços Gerais, Cortador de cana-de-açúcar... No grupo das profissões altamente qualificadas, como as de Engenheiro de Computação e Professor de Ensino Superior, por exemplo, a maioria dos trabalhadores é composta por pessoas brancas. Isto é o que aponta um levantamento do G1 feito a partir de dados oficiais do Ministério do Trabalho e Emprego.


A desigualdade é fruto do abismo social que distancia brancos e negros, da Educação de qualidade e, consequentemente, das oportunidades de ascensão profissional. Especialistas no assunto dizem que estes são “ecos da escravidão” que perduraram por gerações, no Brasil; foi encerrada com a Lei Áurea, mas deixou reflexos perversos até os dias atuais.


Outro inspirador exemplo que vive em nosso distrito é a empregada doméstica Hellen Cristina, moradora do bairro de Mangueiras, que trabalha como doméstica e diarista, há 20 anos, para ajudar na administração de sua casa e busca, hoje, desenvolver o seu próprio negócio.


“Antes, ser doméstica era algo mais fácil, atualmente, há muita gente para pouca vaga; os patrões acabam fidelizando uma doméstica ou pagando apenas diaristas”, disse Hellen, e conclui: “Cresci em um bairro vizinho, Paes Leme, e não tinha muito acesso à escola naquela época, e meus pais sempre diziam que se eu quisesse comer bem, tinha de trabalhar também. O que fez com que eu e meus irmãos deixássemos o colégio de lado, cedo”.


Hellen Cristina, moradora do bairro de Mangueiras, que trabalha como doméstica e diarista, há 20 anos, para ajudar na administração de sua casa Hellen Cristina, moradora do bairro de Mangueiras, que trabalha como doméstica e diarista, há 20 anos, para ajudar na administração de sua casa

Independentemente das dívidas históricas que ainda são cobradas injustamente a muitos brasileiros, só por causa da cor de sua pele, Rafael e Hellen buscam crescimento profissional. O Modelo deu um tempo de suas atividades no setor de moda para se dedicar à sua entrada na faculdade; ele pretende cursar fisioterapia por ser uma área expansiva e muito procurada atualmente. Já Hellen Cristina está se consolidando como microempreendedora na área da beleza, com a venda de extensões de cabelos e cabelos humanos.


O 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, é marcado pela reflexão de como a população negra está inserida na sociedade. Vale reforçar que essa reflexão precisa ser diária, empática e deve partir de todos.














Anuncie       Natal AC R       Natal Bramil      
 
  • Política de Erros
  • Política de Privacidade
  • Termos de Uso
  • Sobre o Jornal em Destaque
  • Contato
  • JORNAL EM DESTAQUE | Todos os Direitos Reservados