Rio Montreux Jazz Festival pela primeira vez na América do Sul | Jornal em Destaque

Rio Montreux Jazz Festival pela primeira vez na América do Sul

Evento internacional, criado na Suíça há 50 anos, reunirá, em junho, 40 atrações no Píer Mauá e em vários outros palcos da cidade.





Rio Montreux Jazz Festival pela primeira vez na América do Sul

13/05/2019 19:49 | Rio de Janeiro | Arte e Cultura |

Helio de Carvalho

Na semana passada, no auditório do Museu de Arte do Rio, foi apresentado à imprensa e convidados o projeto do Rio Montreux Jazz Festival, que pela primeira vez será realizado na América Latina, nos mesmos moldes do festival que acontece na Suíça desde 1967. Com produção da Dream Factory, Gael e MZA Music e apresentação do Ministério da Cidadania, Mastercard e Claro, um dos mais importantes eventos de música do mundo acontecerá de 6 a 9 de junho no Píer Mauá, com ingressos pagos, e em vários palcos gratuitos espalhados pela cidade. Entre os artistas confirmados estão Stanley Clarke, Hermeto Pascoal, Al Di Meola, Yamandu Costa, Andreas Kisser, John Scofield, Steve Vai, Ivan Lins, Chucho Valdés e o Quarteto Tom Jobim com Maria Rita. A Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, representada na coletiva de imprensa pelo Secretário Ruan Lira, fará o apoio institucional.


O CEO do Montreux Jazz Festival, Mathieu Jaton, gravou depoimento em vídeo que abriu o encontro, discorrendo sobre a intensa relação entre o festival e a MPB e ressaltando, até, a semelhança de paisagens entre a cidade-sede e o Rio: na Suíça, o evento acontece de frente para o lago Leman; na nossa cidade, será à beira da Baía de Guanabara. Em seguida, o cônsul-geral da Suíça no Rio, Rudolf Wyss, fez votos de que o RMJF seja o primeiro de muitos e apontou a coincidência de os suíços comemorarem, em 2019, 200 anos de presença no Rio de Janeiro.


O Secretário Ruan Lira afirmou que o Rio Montreux Jazz Festival irá colocar o Estado no corredor cultural internacional de forma mais proeminente. “É um momento de renovação de credenciais de nossa cidade, de apresentarmos pontos positivos diante de outros países. Também será uma oportunidade de fomentar a cadeia produtiva musical do Rio, gerar mais empregos e renda e tirar o Rio da crise, com o apoio integral do Governo do Estado. Que o RMJF entre de vez para o calendário do Estado”, finalizou.


O produtor musical Marco Mazzola, responsável pela noite brasileira do Montreux Jazz Festival desde 1978, será o diretor artístico desta edição do RMJF, cujos ingressos para os três palcos (Ary Barroso, Tom Jobim e Villa-Lobos) dos Armazéns 2 e 3, no Píer Mauá, já estão à venda, com valores entre R$ 187, a inteira mais cara, e R$ 25, a meia entrada mais barata, no site Uhuu! (uhuu.com). Entre os cinco palcos gratuitos que serão montados pela cidade, o Parque Madureira receberá o Palco Pixinguinha, com área para receber um público de até cinco mil pessoas. O cuidado com os portadores de necessidades especiais também é uma preocupação do festival: haverá intérprete de libras nos shows e no site.










PALAVRA DO ASSINANTE SOBRE Rio Montreux Jazz Festival pela primeira vez na América do Sul

Exibindo 0 Comentários


Quer comentar a matéria?






ACR      
Anuncie      
Contador      
-
 
  • Política de Erros
  • Política de Privacidade
  • Termos de Uso
  • Sobre o Jornal em Destaque
  • Contato
  • JORNAL EM DESTAQUE | Todos os Direitos Reservados