Português quer entregar Terreirão a empresários | Jornal em Destaque

DESTAQUE

Português quer entregar Terreirão a empresários

Prefeito de Miguel Pereira planeja, sem consulta popular, ceder propriedade do município para setor privado explorar, construindo shopping.





Português quer entregar Terreirão a empresários

11/06/2018 10:22 ( Atualizado em 11/06/2018 10:28) | Cidade:Miguel Pereira | Secao:DESTAQUE | Helio de Carvalho

O Vereador Romano Lomelino denunciou em seu perfil no Facebook o que parece ser mais uma manobra do Executivo Municipal, que propõe *desafetar a área que pertence ao município conhecida como Terreirão, ao lado da Estação, e entregá-la ao setor privado sem nenhum estudo de impacto, muito menos discutindo com a população e com os empresários e seus representantes legais, como o Sicomercio, por exemplo, classe que já luta com muito custo para manter suas portas abertas, numa cidade onde  o governo não apresenta nenhum plano de socorro ao comércio e manutenção do emprego e renda gerados pelo setor nem nenhum investimento para colaborar com quem pesadamente emprega em Miguel Pereira.


A intenção do Português, que está na Câmara e será votada definitivamente nesta segunda-feira (11), é a de tornar o local, onde são realizados grandes eventos e serve como estacionamento gratuito, em um shopping com perfil gastronômico, além de sala de cinema.


O Jornal EM DESTAQUE é o jornal da região que mais abre espaço para a arte e a cultura, mantendo estas editorias em todas as suas publicações impressas - prova da importância que dá a esse setor da sociedade e das cidades. Entretanto, entende que nada que disponha um bem público, sob nenhuma justificativa, deva ser feito às custas da vontade apenas do chefe do executivo e sua dezena de vereadores.


Como “apostar” num empreendimento onde não se avaliou seus impactos positivos e negativos? É público e notório que sempre que um shopping é erguido em meio a lojas situadas em seu entorno, estas tendem a fechar. Claro que cinema é bem-vindo, mas não seria a primeira tentativa no município e bem se sabe a que preço o cine de Vassouras está sobrevivendo – com uma população maior que a de Miguel Pereira e ser uma cidade universitária!


O ED procurou o vereador Romano, que disse:

“O caso exige cautela. Não estou aqui para impedir o progresso em nenhum setor da sociedade, mas também não posso cometer erros que ponham em risco o bem-estar de todos, hoje e no futuro. Por isto intenciono judicializar tal proposta encaminhada à Câmara e permitir, com isto, que a sociedade tenha tempo para discutir o assunto”.


O ED também entende que “Ideias e projetos mirabolantes” do Executivo precisam ser, em suas execuções, tratados com responsabilidade e respeito à população. Então ficam as perguntas:


Nessa proposta de PPP - Parceria Público-Privada do prefeito Português, qual o benefício que a cidade receberia? ...A obra e exploração exclusiva de empresários de fora?!


Onde serão feitos os eventos, como o Carnaval (O evento de maior expressão cultural e democrática do país)?


Em qualquer projeto ainda no papel se pode calcular quantos empregos serão gerados. Mas, quantos desempregos virão em consequência dessa PPP?


Por que nem o Sicomercio foi consultado? Qual é o receio do Português em apresentar seus planos à população? Tem algo a esconder ou acha que a cidade é dele, dividindo “em capitanias hereditárias” as terras que pertencem a todos os miguelenses e demais pessoas que trabalham e vivem nesta cidade?


O ED é da opinião que por melhor que seja um projeto, tudo, absolutamente tudo que à cidade pertença e se queira entregar à iniciativa privada deva ser discutido com quem nela viva!


Miguel Pereira passa por seu mais dramático momento político-administrativo de toda a sua história, onde recursos financeiros da educação estão sendo destinados à instituição privada e faltando nas escolas municipais – que os digam pais de alunos e professores que constantemente fazem denúncias ao ED. Vários novos contratos de alugueis são firmados sem estudos mercadológicos nem benefício comprovado à população. O centro da cidade foi fatiado em vagas rotativas onde nunca se viu quanto nem onde esse dinheiro arrecadado tem sido investido. Um hospital que mais serve como banco de emprego para parentes do prefeito e seus “amigos”... Falta transparência em tudo e sobra obscuridade nas ações desse governo.


Está mais do que na hora do Ministério Público Estadual e Federal intervirem nessas ações, fruto do despautério de um prefeito desorientado e sua equipe sofrível que agem como sendo os donos da cidade.

 

*Desafetar:  Ato pelo qual se desfaz um vínculo jurídico inerente à natureza de alguma coisa, à propriedade ou à posse, fazendo desaparecer o poder ou o direito sobre ela. Deixar de atribuir a uso ou propósito específicos.    




Português quer entregar Terreirão a empresários Miguel Pereira é uma das poucas cidades a dispor de um espaço público com essas dimensões, no centro, onde acontecem eventos de forte apelo cultural, como o Carnaval [Foto oficial tirada em um evento gospel]. Miguel Pereira é uma das poucas cidades a dispor de um espaço público com essas dimensões, no centro, onde acontecem eventos de forte apelo cultural, como o Carnaval [Foto oficial tirada em um evento gospel].































 

JORNAL EM DESTAQUE | Todos os Direitos Reservados

Desenvolvimento /
Grupo Riobrasil / Riobrasil.net